O ‘Brazil’ nos games pt2

11/22/2010

Caos cyberpunk em Santos!

 

Poder para o povo de Santos

"Poder para o povo de Santos" num outdoor um tanto quanto...Latino demais

Saudações arcaicas!!! Continuando com nossa série sobre as referências brazucas nos games; Trago-lhes hoje algo mais recente, mas nem por isso menos…bizarro!

O game em questão é Shadowrun (2007, Fasa Interactive, PC e xbox360) que ao contrário das nossas primeiras impressões não tem ligação nenhuma com os Shadowrun lançados para MegaDrive e SNES, mas trata-se do mesmo universo baseado nos livros de rpg de mesmo nome. Como de costume, não vou detalhar muito sobre o game, mas basicamente é um híbrido de FPS com TPS que não teve tanto sucesso devido ao seu foco multiplayer, engolido por grandes nomes da época como Halo3 e Gears of War (de 2006).

A parte que nos interessa é o cenário do game: A história se passa na cidade litoranea de Santos! Onde um artefato ancestral surgiu, logo ali no morro São Bento e trouxe ao mundo moderno a mágica e as criaturas da fantasia devolta. Isso mesmo! Elfos, Orcs, Ciborgues e Humanos convivendo e pegando um bronzeado em Santos.

Shadowrun
Um elfo infiltrando a RNA, corporação vilã do jogo. Detalhe para os textos em português encontrados no cenário.

O que pode-se perceber é que a Fasa Interactive não teve muita preocupação em representar a cidade com fidelidade. Podemos identificar alguns pontos importantes como o morro São Bento e o porto de Santos, mas o restante é um cenário periférico um tanto genérico. Há muita discussão na Internet dizendo que inicialmente era para o game ser ambientado no Rio de Janeiro, mas a produtora resolveu mudar de última hora para a cidade de Santos, o que justifica a falta de polimento na ambientação. Ainda assim fica registrado mais um game que fugiu do clichê Rio-Amazonas de sempre e arriscou pegar umas ondas na cidade do Pelé!

 

shadowrun
“Peca Yourselves! Por que?” Uma pixação multi-idioma e ‘multi-sem-sentido’

Outro ponto bacana presente no game são algumas músicas nacionais reforçando a caracterização brasileira, que poderia ser melhor em outros pontos, como por exemplo nos erros grotescos de grafia que fazem com que pensemos que os produtores simplesmente escreveram algumas frases num tradutor qualquer e lançaram no game sem qualquer revisão. (Se tivessem consultado o gagá isso não teria acontecido =D )

De qualquer modo é divertido vagar pelo game em busca das referências e acompanhar a história, apesar de  bastante curta.

Fiquem com o trailer do game e aguardem até a próxima parte de nossa viagem pelo Brasil gamístico!

Próximo post: Rachas ilegais e motos envenenadas na cidade maravilhosa!

Anúncios

O “Brazil” nos games pt1

11/12/2010

Pra quem achava que lá fora só o nome do país era diferente…

Saudações povo nostálgico! Vamos viajar em vários posts sobre as referências brasileiras nos games – dos antigos aos mais atuais. Onde veremos como a visão dos desenvolvedores de games e até dos próprios países estrangeiros mudaram em relação ao nosso Brasil.

Blanka (Street Fighter II)

Um típico cidadão brasileiro, segundo a CAPCOM!!!

Vale também para aqueles que acham que o Blanka de Street Fighter II é o único brasileiro nos games!!!

Começando com a série AeroFighters/Sonic Wings: Uma falecida franquia de shoot em’ups excelentes que com certeza muita gente jogou, seja nos fliperamas sujos ou em emuladores e consoles. Não vou detalhar o game em si, mas nas suas versões Aerofighters II e Aerofighters Limited, podemos encontrar uma fase no Brasil!! Isso mesmo, uma verdadeira guerra acontecendo bem ali no calmo estado do… Mato Grosso Oo

 

Detonando o Boss Brasileiro no Mato Grosso!!!

Essa talvez seja uma das referências mais exóticas que podemos encontrar sobre o nosso país nos games, a Video System Co. – produtora do game, buscou fugir do clichê Rio de Janeiro/Amazonas, ainda que o cenário do Mato Grosso seja essencialmente uma floresta tropical.

 

Aero Fighters II

Detonando e pegando alguns Cruzados $

Outra referência no game é que o piloto Silver do A-10 (Edit: Valeu PaoPaoCafe por lembrar-nos do nome dele \o/) possui uma arara nativa do mato grosso, mostrando que o contrabando de animais não existe só dentro do Brasil XD~

Será que o IBAMA tá sabendo??

Bom, vale a pena conferir pois além de ser um ótimo game, carrega essa exótica homenagem ao nosso país!!!

Próximo post: Caos e intrigas numa Santos Cyberpunk Oo


Como dizia lá na vila

11/08/2010

Não pude conter os risos ao ler a tirinha abaixo (clique para vê-la maior):

Agradecimentos especiais ao meu velho amigo e primão Ed Pratahttp://www.ediprata.deviantart.com/) que tweetou a tirinha!!!

 

Fica inclusive o meu convite aos leitores para visitarem a galeria dele no Devian Art e conferir ilustrações incríveis!!!

Grande abraço

Lord Heizel Diwänji, o retroplayer geek

[Preparando um post atrasado]


Maldito seja…Rugal Bernstein

11/02/2010

Voltando depois de um já conhecido hiatus… Retornamos com novo layout e atualizando o quadro Maldito seja, desta vez com o chefão mais insistente dos games de luta: Rugal Bernstein!

Ahh Maldito seja!!!

Se o Fábio Assunção perder um olho, faz um cover legal de rugal (rimou Oo)

Ahh The King Of Fighters!!! Quem é que não gastou zilhões de centavos com fichas naquele fliperama sujo da esquina jogando essa maravilha? Ou gastou toda a capa do dedão junto com os colegas em partidas ferrenhas em casa? Continue lendo »